.comment-link {margin-left:.6em;}

Cinecasulofilia

0 - fuja! * - razoável ** - bom *** - muito bom, recomendado **** - obra-prima!

segunda-feira, fevereiro 04, 2008

Na verdade, eu reparei que não havia postado no blog o texto que escrevi sobre “”, curta de Juliano Gomes e Leo Bittencourt, por ocasiçao da Mostra do Filme Livre, na primeira exibição pública do curta. Eis então o texto, escrito em jan/2007.

“O curta de estréia de Juliano Gomes impressiona por renovar a forma de tratar do tão conhecido tema de um relacionamento amoroso. Como se fosse um filme de Nobuhiro Suwa, a proximidade e a distância entre dois corpos são vistos dentro de um cinema que mergulha numa crise da própria representação em abraçar o mundo, nas impossibilidades da imagem resgatar uma verdade. O absoluto rigor da mise-en-scène, o trabalho sem concessões com a duração (o plano-seqüência), o avesso do estereótipo da adolescência, a oscilação entre os planos gerais e os planos fechados, assim como entre o movimento e a imobilidade, fazem do denso e melancólico curta de Juliano Gomes uma verdadeira ilha dentro do cinema experimental carioca, dominado pelos cacoetes de linguagem e pelas futilidades da vida urbana.”

5 Comments:

Anonymous Anônimo said...

precisa-se de alguém para filmar... Experiência para satisfação criativa. obrigada!
www.roteirotv.blogspot.com/

8:29 PM, fevereiro 04, 2008  
Anonymous Calac said...

oi marcelo, acompanho o seu blogue já há algum tempo e queria saber como eu poderia ter acesso ao filme o posto.

um abraço

Calac.

1:47 AM, fevereiro 05, 2008  
Blogger Cinecasulófilo said...

oi calac, deixe um email de contato que a gente fala com mais calma... abs

4:52 PM, fevereiro 05, 2008  
Anonymous Anônimo said...

só queira deixar registrado que dos textos que eu li sobre tiradentes, os seus foram muito bom de ler. a maioria dos que eu tinha lido até agora tinham neles uma certa hipocrisia e uma necessidade de se auto afirmar que acaba se sobrepondo ao que realmente interessa, que são os filmes. fora o s filmes em si também acho que devemos discutir a questão vídeo/película e como isso influencia o nosso cinema. uma outra discussão possível: como é que esses jovens realizadores se colocam políticamente e ideologicamente em relação ao cinema que eles vêm fazendo e, também, assistindo? porque é tão difícil sermos sinceros? porque tanta politicagem e babação de ovo?
luiz pretti

2:56 PM, fevereiro 06, 2008  
Blogger Marvin said...

calac2@gmail.com

abração.

12:55 AM, fevereiro 08, 2008  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home