.comment-link {margin-left:.6em;}

Cinecasulofilia

0 - fuja! * - razoável ** - bom *** - muito bom, recomendado **** - obra-prima!

sábado, abril 06, 2013

CARTAS AO CEARÁ #06 no Cineclube Barruada

Amigos,
nesta sexta-feira, dia 06/04, foi exibida uma de minhas videocartas, a CARTA AO CEARÁ #06, no Cineclube Barruada, da Faculdade de Comunicação (FAC) da Universidade de Brasília (UnB). Como não pude estar presente na sessão, mandei aos organizadores do Cineclube uma carta para ser lida na apresentação da sessão.

Meus caros amigos brasilienses, 

Recebi há pouco a notícia pelo Dércio de que minha CARTA AO CEARÁ #06 irá ser exibida logo na primeira sessão da Mostra Cartas e Diários do Cineclube Barruada, no Auditório da FAC, na Universidade de Brasília. E ainda mais: que ela será exibida antes de WALDEN, do Jonas Mekas. Fico muito feliz com essa notícia, de ver que esses filmes singelos vêm reverberando, inclusive na áspera arquitetura de Brasília. Para mim é uma grande honra, na verdade – confesso – motivo de um certo constrangimento, exibir qualquer uma de minhas obras junto com um filme de Jonas Mekas. Porque acredito que o Mekas foi o principal guerreiro, curiosamente na meca do cinema industrial – os Estados Unidos – que travou inúmeras batalhas a favor da liberdade no cinema. Travou essas lutas fazendo filmes, escrevendo textos, organizando sessões de cinema, fazendo palestras, publicando revistas, montando uma distribuidora de filmes independentes, engajando-se em movimentos políticos de contestação, como quando foi preso por exibir e defender FLAMING CREATURES, do Jack Smith, etc, etc, etc. Mas Mekas nos ensinou que essa luta deve ser travada de modo amoroso, e nunca rancoroso, raivoso. Mekas era duro quando preciso mas sempre foi um apaixonado pela vida. E de todas as funções que exerceu em sua militância pelo cinema, aquela que exerceu com maior brilhantismo foi a de realizador. Acima de tudo, Mekas nos deixou filmes extraordinários. Muitos deles só estão sendo descobertos agora, com uma nova geração, que os descobriu através da internet. Acredito que WALDEN é um dos grandes filmes da história do cinema. É um filme em 3D, porque sai da tela e nos faz ver o mundo. Esse é o verdadeiro filme em 3D, aquele que sai da tela!!!! WALDEN não apenas nos faz rever as possibilidades do cinema, mas a sua beleza é nos fazer olhar de forma renovada para o mundo, para as nossas paixões, para o que deixamos escapar em nosso dia-a-dia. Mekas faz esses filmes de forma solitária há mais de cinco décadas. E os faz até hoje! BAN-ZAI Mekas!!! BAN-ZAI!!! BAN-ZAI!!! BAN-ZAI!!! 

Diante disso, não sei o que dizer sobre a minha CARTA AO CEARÁ #06! É a primeira vez que está sendo exibida ao público. Eu prefiro algumas outras, mas se o Dércio escolheu essa, ele deve ter os seus motivos! Esta é uma série de cartas que realizei quando morava no Rio, dedicadas a meus amigos cearenses, em especial ligados ao Alumbramento. Eu estava no Rio e eles lá no Ceará. Agora, que consegui morar no Ceará, poucos estão por aqui, muitos se mudaram!!! É a vida!!! Bom, esta carta, a #06, foi realizada em 2009 e é a única filmada no Ceará, na praia da Taíba, a cerca de 50km de Fortaleza. De volta ao Rio, fui rever as imagens desse dia na Taíba e me bateu uma saudade. Essa carta poderia se chamar “o tempo e o vento”. Acontece que não tenho a vocação para fazer um épico nos pampas. Está mais para Ozu visto pelo prisma do cinema contemporâneo, mais próximo do Five, do Kiarostami. Nessas cartas, fui exercitando algo que considero importante para alguém que quer fazer cinema, que é o dom de saber observar. Saber esperar o tempo da colheita. São planos de câmera parada, mas há algo relativo a um movimento interno do plano que me interessa: a menina que fica nas bordas do quadro, as ondas do mar que vão e vem, um catavento que roda circularmente, uma bola de frescobol que vem e que vai. O que mais podemos querer da vida? Acho que existe uma certa beleza na contemplação desse tempo de estar na praia, num tempo-outro dessa agitação frenética das metrópoles urbanas, mas ao mesmo tempo acho que nessa carta também há uma certa solidão e uma certa distância nesse meu olhar, para as pessoas, para as coisas e para a natureza. Coisas que fui desenvolver em outros de meus vídeos, e também no meu filme-carta ENTRE MIM E ELES. Bom, mas já falei demais. O mais importante é ver os filmes. Eu queria agradecer ao Dércio por ter selecionado essa minha simples carta para passar junto com esse filme tão grandioso quanto o WALDEN. É algo embaraçoso para mim. Para finalizar, queria dizer que o WALDEN, filmado nos anos sessenta, é um filme mais atual que o HOMEM ARANHA 8. Pelo menos para mim. Assim como pode ser também o caso para alguns de vocês, em relação a outros filmes. O tempo não para. Obrigado! BAN-ZAI!!! BAN-ZAI!!! BAN-ZAI!!!


0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home